Bolo de rolo

Esse tradicional bolo do nordeste, nasceu a partir de um bolo português recheado com amêndoas chamado “Colchão de noiva”.
E naquela época por na falta das amêndoas ele foi substituído por doce de goiaba.
O bolo de rolo foi considerado Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de Pernambuco em 24 de abril de 2008.

20140512-191050.jpg

20140512-191113.jpg

20140512-191121.jpg

Ele embrulhadinho para dar de lembrança nas festas de casamento, bodas, festa infantil…

Anúncios

Pé de moleque

Como ainda estamos em ritmo de festa junina, não poderia deixar de fora essa delícia!!!

4

Ingredientes:

500g de amendoim

1 lata de leite condensado

1 col. de sopa de chocolate em pó

1 col. de sopa de manteiga sem sal

1 col. de sopa de mel

2 xíc. (350g) de açúcar

1 col. de sobremesa de canela em pó

Modo de fazer:

Tirar a casquinha do amendoim e torrá-lo

Colocar na panela com o açúcar,

pé de moleque

até o açúcar derreter e grudar no amendoim como na foto abaixo.

2

Tirar a panela do fogo, acrescentar os outros ingredientes e  levar ao fogo novamente até dar o ponto de brigadeiro.

Colocar em um tabuleiro untado com manteiga. Usei o tamanho 20×25 (o pé de moleque fica alto).

3

Deixar esfriar um pouco e cortar.

Dica: corte com ele ainda morno, depois de frio fica difícil.

Bolo de laranja

 

Ingredientes da Massa:

1 xícara de óleo
1 laranja inteira
4 ovos inteiros
2 xícaras de açúcar
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó

Calda:

suco de 1 laranja
3 colheres (sopa) de açúcar
1 colher de margarina

Modo de Fazer:

Massa: Coloque no liquidificador o óleo, a laranja inteira (com casca, e tudo), os ovos e o açúcar.

Bata até liquidificar bem todos os ingredientes. Em seguida misture  à farinha e ao fermento, em uma tigela plástica até formar uma massa homogênea.

Não precisa usar a batedeira. Depois coloque a mistura do bolo em uma forma untada com buraco no meio e deixe em forno médio por  30 minutos.

Preparo da calda: Leve ao fogo todos os ingredientes da calda descritos acima e deixe ferver dê 3 a 5 minutos. Quando o bolo estiver pronto, faça alguns furos para receber melhor a calda quente, a calda e o bolo devem estar quentes ainda quando for cobrir o bolo com a calda .

Azeite

No final de fevereiro a escola de culinária,  Estilo Gourmet – sabor culinário publicou sobre a conservação do azeite com Marcelo Scofano, que é um estudioso em azeites, formado como Sommelier pela International Extravirgin Oliveoil Agency. E eu não poderia deixar de compartilhar isso com vocês. Segue a baixo toda a reportagem e o link.

A conservação dos bons azeites no Brasil

Em todas as aulas ou palestras que tenho dado, seja aqui na ESTILO GOURMET ou qualquer lugar do Brasil, um dos fatos que mais observo é o tempo que as pessoas levam para consumir uma garrafa de 500 ml de azeite extra virgem, em média 30 dias ou mais. Sendo o consumo médio per capita em nosso país da ordem de 270 ml, não é de se estranhar esse fato.
O que percebo é a espantosa reação de todos quando informo que uma garrafa de qualquer volume deve ser consumida em no máximo 15 dias após sua abertura, uma vez que sua oxidação se acelera.
Tendo em vista esse fato, hoje escrevo para lhes falar sobre os três principais inimigos do azeite: o oxigênio, a luz e o calor.
Questionamentos sobre esse assunto são diversos aqui, pois vivemos em um país tropical e muito longe da cultura e da tradição do consumo dos bons azeites.  É tanto o desconhecimento que raramente encontramos comerciantes cientes dessas informações e não raro observamos azeites extra virgens de excelência, cujo preço de venda é muito superior a média do que um brasileiro está habituado a pagar (acima de R$ 100) sem a devida conservação.
Em um artigo que escrevi recentemente para uma coluna de gastronomia de uma revista virtual do Mato Grosso do Sul, um leitor me questionou sobre essas informações, arguindo que nunca vira em gôndolas de supermercados, azeites em climatização ou protegidos da luz.  De fato, não existe no Brasil nenhum supermercado que ofereça tal infraestrutura, pois os azeites ali oferecidos são invariavelmente de pouca qualidade e para os comerciantes não vale o investimento.  Apenas em algumas delis ou lojas especializadas começamos a encontrar fornecedores que se preocupam com esse fato, pois comercializam azeites que exigem tais condições.
E é nesse ponto que gostaria mesmo de chegar: o consumidor brasileiro, cada vez mais exigente, está começando a entender que azeites extra virgens são tão variados em aromas, sabores e… preços quanto os vinhos e que ambos devem ser conservados e apreciados na mesma proporção de seu valor.
Azeites Extra Virgens são o extrato natural (sem fermentação) de uma fruta (a azeitona) e como tal, quanto mais frescos forem consumidos, melhor.  Fatores como terroir, forma de cultivo, colheita, produção e variedade da azeitona influenciam diretamente na qualidade final do produto, seja em sabores e aromas como em valores nutricionais.  Por sua composição química, sua perecibilidade é alta e, portanto, quando encontramos azeites extremamente frutados, picantes ou amargos, devemos saber conservá-los e nada de economizar, temos que consumi-los no mais breve tempo possível.  Para você, que trouxe um bom azeite de uma região produtora e o está guardando há meses ou anos para consumi-lo em uma ocasião especial, caso não esteja devidamente climatizado, esqueça-o.  Seu nível de peróxido já deve ser tão alto que não vale mais a pena ser consumido, nem mesmo na panela.
Portanto, caro leitor, caso esteja de posse de um extra-virgem, cuja qualidade/preço seja superior a média (R$ 20), consuma-o sem parcimônias.  Se aproveitar as ofertas de compras dos mercados, guarde as garrafas fechadas na porta da geladeira (a temperatura ideal de conservação é entre 14º e 18º C) e, uma vez aberta, não economize, pois estará se beneficiando de propriedades sensoriais únicas, que darão um toque todo especial em suas preparações, além de enriquecê-las nutricionalmente.
Assim, resumo abaixo as principais dicas para conservação:
  • guarde-os em local escuro e fresco, longe do fogão.
  • uma vez abertos, consuma-os em 15 dias no máximo.
  • se houver estoque em casa, observe a data de validade e guarde-os na porta da geladeira ou na adega climatizada dos vinhos.
  • caso more sozinho e consuma pouco, dê preferência a garrafas de 250 ml.
  • procure produtos com garrafas escuras ou chapa estanhada.
  • nos supermercados, escolha as garrafas que estão atrás e não expostas a luz.
Ainda que muitos digam que azeite é calórico, vale lembrar que em cada grama de qualquer gordura há 9 calorias.  Sendo a gordura um ingrediente indispensável à alimentação humana, devemos fazer uso da mais saudável e saborosa e, sem dúvida alguma, um bom extra virgem é imbatível !

 

http://estilogourmetazeite.blogspot.com/2012/02/conservacao-dos-bons-azeites-no-brasil.html?spref=fb

 

Doces Gourmet e Delícias do Brasil

Abaixo alguns dos nossos novos doces da linha Gourmet e Delícias do Brasil. Divirtam-se!!!

Colher decorada de chocolate com doce de coco na colher.

Rosas de ganache de frutas vermelhas.

Da linha Delícias do Brasil

Goiabada com queijo cremoso!!! HUUUMMMM!!!!!

Doce abóbora com coco no copinho de chocolate breanco!!! Sabor surpreendente!!!!!

Aguardem mais sabores do Brasil!!!!!!!!

%d blogueiros gostam disto: